“Parabéns por contar uma história que poderia ser triste, de maneira leve, séria e as vezes divertida. Como mãe de uma filha síndrome de down, muitas vezes me vi no papel da mãe da história. Senti saudades, me emocionei, lembrei momentos esquecidos e me senti forte e feliz. Me fizestes pensar em preconceito, no meu…será? Logo eu, que me acho tão moderna?! Sei lá, prefiro chamar meu sentimento de proteção. Desta maravilhosa leitura, tirei a mensagem de que não existe família modelo para a felicidade. Cada uma deve buscar a sua maneira de ser feliz. Isto é possível!”
Hursula Fortkamp